Itaú lucra R$ 7 bi no primeiro trimestre, com tarifas altas e fechamento de agências

12/05/2022
/
159 Visualizações

O Itaú Unibanco teve Lucro Líquido Recorrente Gerencial - que exclui efeitos extraordinários - de R$ 7,361 bilhões no primeiro trimestre de 2022. Isso representa uma alta de 15,1% em relação ao mesmo período de 2021 e alta de 2,8% em relação ao trimestre anterior (no 4º trimestre de 2021, o resultado recorrente foi de R$ 7,159 bilhões).

O retorno recorrente consolidado sobre o Patrimônio Líquido médio anualizado do banco (ROE) foi de 21,0% no período, com alta de 2,3 p.p. em doze meses.

Mesmo com esse resultado excelente, o Itaú fecha agências físicas, o que prejudica os clientes, e ainda cobra tarifas altíssimas. Segundo o balanço do banco, a receita com prestação de serviços e tarifas bancárias cresceu 11,8% em doze meses (de abril de 2021 a março de 2022), totalizando cerca de R$ 11,1 bilhões. Foram fechadas 207 agências físicas no Brasil e abertas 120 agências digitais no mesmo período, totalizando 2.834 e 315 unidades, respectivamente.

“O banco continua lucrando alto, mas não investe em mais contratações ou em melhorar o atendimento aos clientes. Continua fechando unidades físicas e investindo nos canais digitais, quando sabemos que em diversas situações os correntistas precisam de atendimento presencial. O Itaú também poderia baixar as tarifas, mas continua cobrando alto pelos serviços aos clientes, assim como praticando juros altos. Os bancos são concessões públicas e deveriam promover acesso ao crédito, com juros baixos, contribuindo assim para melhorar a crise no país”, destaca Marta Soares, secretária de Imprensa e Comunicação do Sindicato dos Bancários de São Paulo e bancária do Itaú.

Em seu relatório, o Itaú atribui em parte seus resultados ao crescimento da carteira de crédito: houve aumento de 23,9% na margem financeira com clientes. O banco também considera que o aumento da taxa de juros Selic trouxe impacto positivo na remuneração do capital de giro próprio e para a margem de passivos.

Por mais empregos

As despesas de pessoal, considerando a PLR, cresceram 12,1% em 12 meses, somando cerca de R$ 7 bilhões. Assim, a cobertura dessas despesas pelas receitas com prestação de serviços do banco (que foi de R$ 11,1 bilhões) foi de 159,35%. Ou seja, apenas com o que arrecada em tarifas cobradas dos clientes, o banco paga mais de 1 vez e meia toda a sua folha de pessoal.

Ao final do 1º trimestre de 2022, a holding contava com 88.260 empregados no país, com abertura de 3.845 postos de trabalho em doze meses. Mas, segundo o próprio Itaú, esse saldo se deve à ampliação no número de assessores de investimentos e a contratações para a área de TI, visando acelerar o processo de transformação digital.

“Vemos que o Itaú teve saldo positivo de empregos, mas essas novas vagas ainda são insuficientes para atender a demanda de clientes. Os bancários do Itaú estão sobrecarregados e adoecendo pela cobrança exagerada pelos resultados. Além disso, as vagas abertas são para a área de TI, e não para as agências físicas, e reforçamos que usuários e correntistas precisam que o banco também invista em atendimento presencial”, destaca Marta Soares. (Fonte: Seeb SP)

Notícias Feeb Pr

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS