Ameaça de golpes no WhatsApp subiu 25% no Brasil em setembro

Criminosos tem aumentado a investida na clonagem e falsificação de contas no WhatsApp para extorquir dinheiro de contatos das vítimas

A tática da clonagem é utilizada por criminosos para roubar a conta do app do usuário e utilizar seus contatos para extrair dinheiro, se passando pela vítima

Os golpes veiculados pelo aplicativo de mensagens WhatsApp tem, novamente, chamado a atenção de especialistas de segurança e, agora, em uma dimensão maior: em setembro, o número de pessoas que receberam a tentativa de clonagem do app foi 25% maior que no mês anterior, afirmou o laboratório especializado em segurança digital da PSafe, o dfndr lab.

Somente no mês passado, mais de 473 mil usuários do app ficaram suscetíveis ao golpe de clonagem no WhatsApp, totalizando cerca de 15 mil ataques por dia. A tática da clonagem é utilizada por criminosos para roubar a conta do app do usuário e utilizar seus contatos para extrair dinheiro, se passando pela vítima.

O golpe geralmente chega para o usuário em forma de link malicioso, enviado por e-mail, ou pelo próprio WhatsApp, com mensagens que prometem prêmios, em troca de uma simples confirmação de dados. Depois de enviados, os criminosos acessam o app e pedem um código de confirmação para a vítima — a garantia de verificação própria da conta. Com o número em mãos, os golpistas conseguem realizar a clonagem.

"A clonagem de WhatsApp é um golpe que começa com a Engenharia Social, um método de ataque em que uma pessoa mal-intencionada faz uso da manipulação psicológica para induzir alguém a realizar ações específicas, como compartilhar informações pessoais, baixar aplicativos falsos ou abrir links maliciosos", afirma Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

Outro golpe que está também se popularizando no WhatsApp é a falsificação de contas. O crime acontece quando números aleatórios fingem ser contatos de outras pessoas, com fotos e informações, atuando também na extorsão de dinheiro.

“Ao ver alguma mudança de número, ligue para seu contato ou até mesmo faça uma videochamada, para garantir que aquela pessoa é realmente quem diz ser e, caso reste alguma dúvida, não informe dados pessoais, não clique em links enviados e não realize transações financeiras”, alerta Simoni.

Para se proteger, cuidados básicos, mas muito importantes devem ser tomados pelos usuários. Abaixo, alguns deles:

Cuidados para se proteger no WhatsApp
Ao receber um link, confira se a procedência é confiável e nunca abra ou informe dados pessoas de desconfiar do site ou do endereço.

Verificar URLs também é uma opção de evitar golpes e, ao receber mensagens com possíveis informações falsas, sempre cheque a informação em outros meios.

A verificação em duas etapas do WhatsApp também é um meio de garantir que o app fique seguro contra ataques de golpistas. (Fonte: Estadão)

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS